(1947) SCHOENBERG O Sobrevivente de Varsóvia

A Survivor from Warsaw

Compositor: Arnold Schoenberg
Número de catálogo: Opus 46
Data da composição: 7 de julho a 10 de agosto (texto) e 11 a 23 de agosto de 1947 (música)
Estréia: 4 de novembro de 1948 em Albuquerque, Novo México, com a Albuquerque Civic Symphony Orchestra sob a direção de Kurt Frederick e tendo Sherman Smith como o narrador

Duração: cerca de 8 minutos
Efetivo: 1 narrador; coro masculino
Efetivo: 4 flautas, 2 oboés, 2 clarinetas, 2 fagotes, 4 trompas, 3 trompetes, 3 trombones, 1 tuba, tímpano, xilofone, sinos, sinos-tubulares, caixa-clara, bumbo, pratos, triângulo, tamborim, gongo, castanholas, harpa e as cordas (primeiros- e segundos-violinos, violas, violoncelos e contra-baixos)

Àqueles que estranham a existência da música dodecafônica, vendo nela tão-somente um emaranhado de sonoridades decombinantes, essa é uma boa chance de tentar compreendê-la: toda arte reflete seu tempo, e que outra música poderia nos trazer, tão poderosamente, as dores e tristezas advindas de um trauma global como foi o holocausto judeu na Segunda Guerra?

Schoenberg havia sido nomeado professor de música na Academia Prussiana de Artes em 1925 e perdeu o cargo em 1933 por conta do movimento anti-semita; foi nesse momento, ele conta, que decidiu retornar à fé judaica (a qual abandonara na juventude) e emigrou, logo em seguida, aos Estados Unidos. 

A obra surge de uma encomenda da Fundação Koussevitzky e logo após um ataque cardíaco que quase matou o compositor. Ele vinha trabalhando numa ideia sugerida pela bailarina e coreógrafa russa Corinne Chochem que pretasse homenagem às vítimas do Nazismo, mas o projeto não foi adiante; foi então que a Fundação Koussevitzky pediu uma obra sinfônica e ele resolveu transformar em música um depoimento que ele próprio ouvira de um sobrevivente do Gueto de Varsóvia.

Após uma agressiva e massacrante entrada da orquestra com destaque da fanfarra e da percussão, o narrador — cujo texto deve soar, segundo orientação do autor, sem nenhuma musicalidade — passa a relatar o ocorrido. O texto é em inglês com algumas poucas intervenções em alemão, mas sua forma denuncia que foi pensado originalmente em alemão pelo compositor e transposto ao inglês. A orquestra sublinha algumas passagens, sobretudo as intervenções em alemão, com contundência. 

I cannot remember everything. I must have been unconscious most of the time.
I remember only the grandiose moment when they all started to sing, as if prearranged, the old prayer they had neglected for so many years – the forgotten creed!

Não consigo me lembrar de tudo. Devo ter ficado inconsciente a maior parte do tempo.
Lembro apenas do momento grandioso quando todos começaram a cantar, como tivessem combinado, a antiga oração que negligenciaram durante tantos anos - o esquecido credo!

But I have no recollection how I got underground to live in the sewers of Warsaw for so long a time.

Mas não tenho nenhuma lembrança de como eu me enfiei nos subterrâneos para viver nos esgotos de Varsóvia por tanto tempo.

The day began as usual: Reveille when it still was dark. "Get out!" Whether you slept or whether worries kept you awake the whole night. You had been separated from your children, from your wife, from your parents. You don't know what happened to them... How could you sleep?

O dia começou como sempre: O Toque de Alvorada veio quando ainda estava escuro. "Saiam!" Tenha você dormido ou tenha ficado acordado com suas preocupações durante toda a noite. Você foi separado de seus filhos, da sua esposa, de seus pais. Você não sabe o que aconteceu com eles... Como você poderia dormir?

The trumpets again – "Get out! The sergeant will be furious!" They came out; some very slowly, the old ones, the sick ones; some with nervous agility. They fear the sergeant. They hurry as much as they can. In vain! Much too much noise, much too much commotion! And not fast enough! The Feldwebel shouts: "Achtung! Stillgestanden! Na wird's mal! Oder soll ich mit dem Jewehrkolben nachhelfen? Na jut; wenn ihrs durchaus haben wollt!"

As cornetas novamente - "Saia! O sargento vai ficar furioso!" Eles saíram; alguns muito lentos, os mais velhos, os doentes; alguns com agilidade nervosa. Eles temem o sargento. Eles se apressam o máximo que podem. Em vão! Muito barulho, muita comoção! E não rápido o suficiente! O Sargento grita: "Atenção! Parados! Querem que os ajude com a ponta do meu rifle? Será assim se você realmente quiser!"

The sergeant and his subordinates hit everyone: young or old, strong or sick, guilty or innocent...

O sargento e seus subordinados acertaram todos: jovens ou idosos, fortes ou doentes, culpados ou inocentes...

It was painful to hear them groaning and moaning.
I heard it though I had been hit very hard, so hard that I could not help falling down. We all on the ground who could not stand up were then beaten over the head...

Era doloroso ouvi-los ranger e gemer.
Eu ouvi tudo isso apesar de ter sido atingido com muita força, tão fortemente que eu não pude ficar de pé. Nós todos no chão e quem não conseguia levantar era espancado na cabeça...

I must have been unconscious. The next thing I heard was a soldier saying: "They are all dead!"
Whereupon the sergeant ordered to do away with us.
There I lay aside half conscious. It had become very still – fear and pain. Then I heard the sergeant shouting: "Abzählen!"  
They start slowly and irregularly: one, two, three, four – "Achtung!" The sergeant shouted again, "Rascher! Nochmals von vorn anfange! In einer Minute will ich wissen, wieviele ich zur Gaskammer abliefere! Abzählen!"

Eu devia estar inconsciente. A próxima coisa que ouvi foi um soldado dizendo: "Eles estão todos mortos!"
Então o sargento mandou acabar conosco.
E me deixei quase inconsciente. Fiquei apático - medo e dor. Então ouvi o sargento gritando: "Contem!"
Eles começam lenta e irregularmente: um, dois, três, quatro - "Atenção!" O sargento gritou novamente: "Mais rápido! Mais uma vez, comece desde o início! Em um minuto eu quero saber  quantos eu vou enviar para a câmara de gás! Contem!"

They began again, first slowly: one, two, three, four, became faster and faster, so fast that it finally sounded like a stampede of wild horses, and all of a sudden, in the middle of it, they began singing the Shema Yisrael...

Começaram de novo, primeiro lentamente: um, dois, três, quatro, e ficaram cada vez mais rápidos, tão rápidos que no fim soava como um galope de cavalos selvagens, e de repente, no meio disso, começaram a cantar o Shema Yisrael...

Entra aqui o coro masculino com o Hino "Escuta Israel" (Devarim — ou Deuteronômio — 6:4-9):

שְׁמַע יִשְׂרָאֵל; יְהוָה אֱלֹהֵינוּ יְהוָה אֶחָד׃ וְאָהַבְתָּ, אֵת יְהוָה אֱלֹהֶיךָ; בְּכָל־לְבָבְךָ וּבְכָל־נַפְשְׁךָ וּבְכָל־מְאֹדֶךָ׃ וְהָיוּ הַדְּבָרִים הָאֵלֶּה, אֲשֶׁר אָנֹכִי מְצַוְּךָ הַיּוֹם עַל־לְבָבֶךָ׃ וְשִׁנַּנְתָּם לְבָנֶיךָ, וְדִבַּרְתָּ בָּם; בְּשִׁבְתְּךָ בְּבֵיתֶךָ וּבְלֶכְתְּךָ בַדֶּרֶךְ, וּבְשָׁכְבְּךָ וּבְקוּמֶךָ׃ וּקְשַׁרְתָּם לְאוֹת עַל־יָדֶךָ; וְהָיוּ לְטֹטָפֹת בֵּין עֵינֶיךָ׃ וּכְתַבְתָּם עַל־מְזוּזֹת בֵּיתֶךָ וּבִשְׁעָרֶיךָ׃ 

(Transliterado):
Shema Yisrael, Adonai Elohênu, Adonai Echad. Veahavtá et Adonai Elohêcha, bechol levavechá uvechól nafshechá uvechól meodêcha. Vehaiu hadevarím haêle, asher anochí metsavechá haiom al levavêcha. Veshinantám levanêcha vedibartá bam, beshivtechá bevetêcha, uvelechtechá vadérech uveshochbechá uvecumêcha. Ukeshartam leót al iadêcha vehaiú letotafot bên enêcha. Uchetavtám al mezuzót betêcha uvish’arêcha.

Escuta, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força. Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas. 

Recentemente, num concerto da Orquestra da Beethoven-Haus de Bonn, apresentou-se a peça de Schoenberg imediatamente — e sem interrupção — antes da Nona Sinfonia de Beethoven, criando um efeito de oração-pré-Sinfonia, tradição que vem sendo seguida em algumas ocasiões. Em Berlim o maestro Simon Rattle utilizou-se do mesmo expediente unindo O Sobrevivente à Sinfonia da Ressurreição de Mahler.

© RAFAEL FONSECA


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, ao postar seu comentário, não deixe de incliur seu endereço eletrônico, para que possamos manter contato! (R. F.)